quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ARTE E SUSTENTABILIDADE COM O CAFÉ

Vejam que idéia bacana!

Até o pó de café pode ter um uso criativo após a extração da bebida, uma massinha de modelar perfeita para transformar idéias em lindas peças de artesanato.
Encontramos esta supreendente possibilidade para o pó usado do café no site da artesã Beth Matteelli (http://www.betharte.com/).
Vejam a receita disponibilizada pela artesã... Para quiser tentar em casa...

Após coar o pó de café, seja com máquina expressa (italiana) ou no coador, sempre fica o resíduo que poderá ser utilizado na compostagem de fertilizantes para se misturar à terra. Eu dou outro uso para o pó de café usado, deixo secar ao sol e reciclo, transformando-o em massa de modelar caseira, para se fazer figuras, como as de biscuit. A foto mostra uma abelha que fiz, como exemplo para professores que querem sugestões para trabalhar com seus alunos.

Ingredientes: 2/3 de xícara  de chá de pó de café usado e seco, 1/3 de xícara  de chá de amido de milho, 1 xicara  de chá de cola branca para biscuit, 1 colher de sopa de vinagre, 1 colher de vaselina líquida. Creme de mão para sovar a massa.

Execução: Não jogue fora o café resíduo do filtro ou da máquina, coloque para secar ao sol. Misture todos os ingredientes e leve ao microondas por 1 minuto, misture novamente e volte ao micro por mais 1 minuto.
Sove a massa numa pia de mármore untada com amido de milho. Guarde num saco plástico até esfriar. Acrescente creme de mão à massa e sove até ficar no ponto de fazer as peças.
*A abelha de massa de pó de café foi decorada com a tinta relevo Squizz e  a asa eu fiz de  garrafa pet transparente.

Divirta-se e nos envie comentários se decidir fazer a massinha...Boa sorte!!!
quarta-feira, 14 de setembro de 2011

NOVO ESPAÇO NA EMBRAPA SOJA PODE SER VISITADO POR TURISTAS

A EMBRAPA Soja (Warta - Londrina) agora abre suas portas aos visitantes para além das visitas técnicas e científicas do agronegócio. O Espaço de Educação Ambiental foi cuidadosamente preparado para receber visitantes e proporcionar momentos de interação com a natureza e vivências sobre a história e transformação das propriedades rurais de Londrina e região.

O espaço onde está sediada hoje a EMBRAPA Soja, foi antigamente a Fazenda Santa Terezinha. E é na antiga sede da fazenda, hoje revitalizada, que o Espaço de Educação Ambiental foi implantado com o apoio de diversas entidades.
O trabalho realizado no espaço tem como foco o conceito de "História Ambiental", com abordagem nas áreas da Educação, História e Meio Ambiente.
Na antiga tulha que antes abrigava o café já colhido, hoje encontra-se uma exposição histórica sobre a cultura cafeeira e sobre as transformações do espaço e da região ao longo dos anos, retratando a memória e nos fazendo compreender e valorizar as raízes do Norte Paranaense.
Os visitantes  são acompanhadas por monitores da EMBRAPA Soja, capacitados durante a implantação do projeto. As visitas se iniciam na Casa das Boas Vindas e os visitantes são convidados a participar de uma verdadeira "viagem pela história", seguem então para a exposição histórica na tulha, que está divida em vários espaços para melhor retratar a época da cafeicultura e as mudanças com o passar dos tempos. Por fim, a visita segue para a vivência na trilha ecológica, momento em que é possível aproximar o visitante da natureza e fazê-lo refletir sobre o seu papel como agente transformador do ambiente.
Venha conhecer um pouco da história e da cultura cafeeira e ainda experimentar o cheiro do mato, o frescor da natureza, o barulho dos pássaros e o vento nas árvores...Venha sentir-se parte do meio ambiente!

Para agendar sua visita:
Dias disponíveis: segunda a sexta
Antecedência mínima: 15 dias
Contato: 43 3371 6060

Para roteiros na Rota do Café, entre em contato com uma das agências de turismo receptivo credenciadas. Veja em http://www.rotadocafe.tur.br/
segunda-feira, 5 de setembro de 2011

A Rota do Café é notícia na GAZETA DO POVO

Publicado em 01/09/2011 | Londrina - Marco Martins, correspondente em Santo Antônio da Platina

Vai um cafezinho aí, moço?

Roteiro turístico no Norte do Paraná resgata cultura cafeeira em meio a belas paisagens, museus e antigas fazendas de café
Fotos: Antônio de Picolli 
Na Rota do Café, turistas participam da colheita do produto junto com funcionários de fazendas cafeeiras

Percorrer a Rota do Café, entre Rolândia e Tomazina, no Norte Pioneiro, é fazer uma viagem no tempo e voltar ao auge da cafeicultura no Paraná, no início dos anos 1930. Nos quase 300 quilômetros entre 15 cidades da região, o visitante passa por 34 pontos turísticos, onde pode conhecer desde centenárias fazendas de café e museus até fazer degustação de vinhos em uma réplica de um castelo medieval, além de conhecer o circuito cultural e histórico local.
O roteiro proporciona a experiência de conhecer mais sobre o ciclo do café e a importância que a cultura teve para o desenvolvimento do Paraná. É possível contemplar belas paisagens das preservadas propriedades incluídas na rota e também fazer a colheita do produto, exatamente como no começo do ciclo. Tudo isso com mesa farta de refeições rurais, doces típicos das fazendas, sempre acompanhados por um cafezinho.
A partir de Rolândia, o turista pode começar o passeio com uma visita a uma das principais torrefadoras de café do Paraná, uma fazenda especializada na produção de uvas finas e uma pousada rural. O roteiro vai terminar em Tomazina, no Norte Pioneiro, com passagem por uma fazenda onde são produzidos cafés especiais e a hospedagem na Pousada Carro de Boi, especializada em culinária e turismo rural.
O mais indicado é formar grupos e escolher os pontos que serão visitados. Conhecer todas as atrações levaria mais de uma semana e, para otimizar o passeio, as agências de turismo organizam pacotes que podem ser contratados por grupos fechados, para conhecer três ou quatro atrações em uma distância média de até 150 quilômetros, ao longo de um dia. Também há pacotes para quem pretende, por exemplo, passar um final de semana visitando quase toda a rota, com pernoites em algumas das inúmeras pousadas ou hotéis-fazenda da região.
A empresária Angela Roeder abana o café na peneira após a colheita: interação

Outra bebida
Vinho é produzido em castelo
Família unida na Vinícola La Dorni: José Aparecido, a esposa Marli e o filho Jonathan Martins na entrada do castelo medieval que abriga a produção.
A Rota do Café também leva o visitante à degustação de uma outra bebida: o vinho. Várias vinícolas fazem parte do roteiro. Uma delas é a La Dorni, em Bandeirantes. O empresário José Aparecido Martins, o Cidinho, construiu a sede inspirado em um castelo medieval. Porém, há mais a ser aprecidado do que a obra de 3 mil metros quadrados, com torres imponentes, uma masmorra e um túnel em forma de arco romano.
Lá dentro, o visitante pode degustar vários tipos de vinho e conhecer todo o processo de produção, do parreiral ao engarrafamento e logística, passando pela elaboração, armazenagem e laboratório. No castelo estão as cavas, um café bistrô e área para eventos.
A marca oferece, desde 2000, quase 20 tipos de vinhos diferentes, inclusive a bebida sem álcool e a variedade sem açúcar. São vinhos comerciais direcionados a diversos públicos, inclusive o feminino, com o La Donna. A vinícola produz cerca de 15 mil garrafas por mês a partir de uvas vindas também do Rio Grande do Sul. Boa parte da produção está nos supermercados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Cidinho gosta mesmo é da conversa com os visitantes durante a degustação. Por mais de duas horas, ele e o filho Jonatham Martins respondem perguntas, falam sobre as variedades e dão dicas de armazenamento e escolha da bebida.
Esse roteiro ainda passa por Ibiporã, onde os visitantes conhecem o circuito cultural da cidade, como o Cine Teatro Padre José Zanelli e o museu de esculturas ao ar livre, com obras dos artistas plásticos Letícia Faria e Henrique de Aragão. Há ainda uma visita à Igreja Nossa Senhora da Paz, construída com a doação de produtores de café da região.

Serviço:
Vínícola La Dorni. Rua Sebastião Nascimento, Parque Industrial Bela Vista, Bandeirantes. Visitas agendadas com degustação de vinho por R$ 10. Informções pelo fone 43-3542-4315 ou no site www.ladorni.com.br


Serviço:
A rota tem seis agências de viagens conveniadas que oferecem e montam os pacotes de roteiros de acordo com a preferência do visitante. Mais informações pelo telefone (43) 3373-8034 ou pelo site http://www.rotadocafe.tur.br/

Vejam a matéria na íntegra no link:


Notícias

Procurar

Carregando...

Vídeo

Seguidores